Despretensiosamente

Às vezes bate aquela saudade despretensiosa de quem nunca teve. Às vezes vem a vontade de saber como anda você na vida e se de vez em quando também despretensiosamente sente saudade de mim. Você foi embora mas deixou um pedaço doce de lembranças no vão dos meus dias desocupados. E todo esse sentimento me faz pensar como seria se vivêssemos juntos, se morássemos na mesma rua ou dividíssemos o mesmo quarteirão. Me faz pensar no tom da tua risada ao saber desses segredos meus, que nego até a morte por um orgulho inexplicável que à vezes acho que só com o seu sarcasmo arrebentaria. Como um físico tento entender os esquemas do destino, mas sempre desisto porque me sinto um matemático frustrado tentando desvendar o amor. E matemática nunca foi o meu forte. Ás vezes vem a vontade de ter aquela conversa que nunca tivemos, ou o beijo que nunca demos, e nem sei se vamos dar. Mas uma coisa eu aprendi sobre o destino sem estudar, que ele gosta de surpresas, e quem sabe eu te encontre um dia desses sem esperar.

Caco L